terça-feira, 7 de maio de 2013

PARA RECORDAR O MOURA BD...


Há alguns festivais de banda desenhada que me proporcionam sempre fins-de-semana inesquecíveis, não só pela qualidade das exposições que exibem, mas também pelo salutar convívio que geram. E, obviamente, que o Moura BD se insere, na minha opinião, nessa categoria. Este ano, em que os homenageados foram Hugues Barthe, Vassalo Miranda e Zé Manel, a mostra organizada pelo Carlos Rico, com o apoio da câmara municipal de Moura, proporcionou-me no passado fim-de-semana de 27 e 28 de Abril mais algumas experiências memoráveis. Agora, que esta iniciativa já encerrou portas, deixo aqui algumas fotografias, um cheirinho do que esse fim-de-semana significou para mim... Mas quem quiser saber mais alguma coisa sobre o que se passou pode sempre fazê-lo aqui, aqui e aqui, bem como aqui, aqui e aqui.

Fotos: Cristina Costa Amaral


Eu e o Vassalo Miranda numa animada sessão de autógrafos
Uma "Ana Maria" feita para o caderno de honra do Moura BD
Foto de família: Eu, em baixo e da esquerda para a direita Luiz Beira, Carlos Rico, Vassalo Miranda e Hugues Barthe
Foto não oficial depois do já célebre almoço em Pias: Carlos Rico, eu, Luiz Beira, Vassalo Miranda, Hugues Barthe, Jorge Machado Dias e Leonardo de Sá
Valeu a pena esperar pelo final da tarde para assistir ao teatro baseado nas tiras cómicas O Ribanho, da autoria de Carlos Rico e Luís Afonso
Vista geral da exposição
Zé Manel, Hugues Barthe e Vassalo Miranda, os homenageados...
E, para fechar, deixo uma soberba vista de Moura a partir do castelo

4 comentários:

  1. Infelizmente, só determinadas câmaras municipais, quando geridas por determinadas forças políticas, é que iniciam projectos relacionados com BD...depois, é o ver se te avias para manter esses eventos, quando a coisa, por razão da mudança de forças, cai para o lado de quem gosta de destruir a cultura. É assim em Beja e na Amadora. Felizmente, não é assim em Moura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que posso dizer quanto a isso, é que existe de facto um trabalho louvável de algumas câmaras em prol de uma maior cultura, com eventos como este. Não me interessa muito saber qual é a força política que gere a câmara, se, de facto, ela aposta neste tipo de eventos que nos dias que correm são cada vez mais difíceis de realizar. Interessa-me, isso sim, louvar a sua coragem e o seu trabalho, uma vez que com ele chegam às pessoas, dando-lhes a conhecer coisas que de outra forma não têm sido possíveis. E, aí, entre outras devo de facto louvar a câmara deMoura, porque, apesar das vissicitudes e da falta de dinheiro, tem conseguido manter este evento, apesar de nos ultimos anos ter passado a realizar-se apenas de dois em dois anos, ao contráriodo que sucedia até então (que era anual). Mas reconheço que teria sido muito mais fácil acabar pura e simplesmente com a oiniciativa. Mas também não posso deixar de homenagear aqui o Carlos Rico pois tem sido o seu entusiasmo e a sua militância qwue têm dado vida a este festival. Por fim, resta-me dizer que espero que Moura, bem como os restantes festivais de BD deste país durem muitos anos, pois têm um papel muito relevante no que diz respeito à promoção da BD que, como toda a gente sabe é muitas vezes considerada como uma arte menor e o parente pobre das actividades artísticas. Um abraço.

      Eliminar
  2. Absolutamente! Não estou a dizer que uns são melhores que os outros. Estou é a dizer que há uns que querem destruir o que os outros constroiem para servir a comunidade. E mais: Há os que têm a vontade, o projecto. Há os decisores. E há os que, independentemente de que manda neles (leia-se, funcionários das autarquias), dão o seu melhor com todo o seu profissionalismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto. Eu não diria melhor. Um abraço.

      Eliminar